Clima é a pauta central da Assembleia Geral da ONU

Clima é a pauta central da Assembleia Geral da ONU

Antes do evento, que começa com discurso do presidente Bolsonaro, acontece a Cúpula pelo Clima, que discutirá mudanças climáticas

São Paulo — Esta semana, em Nova York, representantes de quase 200 países se reúnem para discutir suas agendas políticas no maior encontro diplomático do ano. A partir desta terça-feira 24 começa a Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), que será liderada por Tijjani Muhammad-Bande, enviado da Nigéria. O diplomata estabeleceu como suas prioridades para o encontro discutir pobreza, educação e inclusão.

A Assembleia acontece em meio aos lançamentos de mísseis norte-coreanos, às tensões crescentes entre Estados Unidos e Irã depois do ataque à petroleira saudita, aos protestos na Caxemira e em Hong Kong, à piora nas negociações de paz entre EUA e Afeganistão, ao fim do diálogo entre governo e oposição na Venezuela, ao Brexit no Reino Unido e à guerra comercial sino-americana.

Por questões internas, líderes importantes como o presidente chinês Xi Jinping, o russo Vladimir Putin, o venezuelano Nicolás Maduro, o primeiro-ministro de Israel Benjamin Netanyahu e o canadense Justin Trudeau não comparecerão pessoalmente, mas devem enviar representantes.

O presidente brasileiro Jair Bolsonaro, por sua vez, garantiu que irá ao evento, ainda que esteja se recuperando de um procedimento cirúrgico. Ele embarca nesta segunda para os Estados Unidos.

Seguindo a tradição, o discurso inaugural da Assembleia será do líder brasileiro. Há muita apreensão para ver como o presidente irá se posicionar, especialmente após seu discurso em Davos, em janeiro, quando falou por somente seis dos 45 minutos que dispunha.

Bolsonaro indicou que deve falar principalmente sobre o meio ambiente, por causa do escândalo internacional provocado pelo número crescente de focos de incêndios na Amazônia. O presidente disse que irá defender a “soberania brasileira sobre o território”.

Para além do discurso de Bolsonaro, o meio ambiente e as mudanças climáticas devem dominar os holofotes ao longo da semana. A pauta é cara ao Secretário-Geral da ONU, António Guterres, que organizou nesta segunda-feira 23, a Cúpula do Clima da ONU.

Nos últimos meses, ele tem trabalhado para garantir que líderes ao redor do globo adotem compromissos mais concretos que os feitos em 2015 durante a assinatura do Acordo de Paris para reduzir as emissões de gases do efeito-estufa. “Não venha com belos discursos, venha com planos concretos e estratégias para atingir neutralidade na emissão de carbono até 2050”, disse o secretário em agosto.

Há muita pressão sobre os governantes sobre o tema depois das manifestações pelo clima que aconteceram em massa na última sexta-feira 20, puxados pela adolescente sueca Greta Thunberg. Mas nem todos poderão discursar na Cúpula.

A ONU negou tempo de fala para países que estão trabalhando com novas fontes de combustíveis fósseis ou que não estão cumprindo seus compromissos a respeito da emissão de carbono. Brasil, Estados Unidos, Arábia Saudita, África do Sul e Japão não vão poder discursar, por exemplo. O primeiro-ministro indiano Narendra Modi e o presidente francês Emmanuel Macron, por outro lado, estão entre os 50 líderes que vão falar.

Na véspera do evento, um grupo de 59 empresas multinacionais, como Danone, Ikea, Klabin e L’Oréal, se comprometeu a cortar drasticamente as emissões de gases do efeito-estufa. Com isso, agora já são 87 empresas — com um mercado de mais de 2,3 trilhões de dólares e emissões diretas equivalentes a 73 usinas de energia e carvão — que participam da iniciativa liderada pela ONU com a sociedade civil para limitar o aumento da temperatura global a 1,5 graus Celsius e alcançar emissões zero de carbono até no máximo 2050.

Ontem, 130 bancos também assumiram compromissos com ações sustentáveis — entre eles, o Itaú, o Bradesco e o Santander. Ainda ontem, a Estação Meteorológica Mundial divulgou relatório mostrando que o período de 2015 a 2019 está caminhando para ser o mais quente da história, com 1,1 grau acima da média. Para mudar a rota, a ONU espera encerrar a semana com planos concretos de ação, e não apenas com discursos.

fonte:
https://exame.abril.com.br/mundo/clima-e-a-pauta-central-da-assembleia-geral-da-onu/

EDUCAÇÃO AMBIENTAL E A RECICLAGEM DO LIXO.

EDUCAÇÃO AMBIENTAL E A RECICLAGEM DO LIXO.

A coleta seletiva do lixo é uma atividade interessante, mas que deve ser bem trabalhada.

Para muitos professores e diretores, trabalhar a Educação Ambiental não é tarefa fácil! E mais delicada ainda é a incoerência que existe, muitas vezes, neste tipo de trabalho, uma vez que algumas atividades incentivam ainda mais o consumo desnecessário, não abordam questões mais abrangentes e, tampouco geram reflexões e mudanças de valores.

Como exemplo, podemos citar as coletas seletivas: de que adianta ter em toda a escola diversos contêineres de cores diferentes distribuídos se o aluno mal sabe o porquê daquilo? E mais ainda: se o próprio funcionário encarregado pela limpeza não sabe nem vê o porquê de tal ação? A título de informação, um papel, para ser reciclado, não pode estar amassado e, tampouco, sujo. E aí, a pergunta: de que adianta ter no pátio um lixo destinado a papéis para reciclagem se a informação de que aquele guardanapo que envolveu o pastel que o garoto comeu no lanche (e jogou naquele recipiente com uma imensa boa vontade) não poderia ser jogado lá? E para quê, se a senhora da limpeza despeja o conteúdo de cada contêiner no mesmo saco preto?

Mais um exemplo, também comum em escolas, é o dia da reciclagem de papéis, algo parecido com uma gincana na qual os alunos da turma que levarem mais deste material ganharão, por exemplo, um lanche. De repente, uma turma ganha a gincana – contando com a ajuda do pai de um aluno que é figura importante do jornal local e levou ao colégio centenas de jornais inteiros, publicados exatamente naquele dia…

Cabe a seguinte reflexão: será que os méritos que fez da turma vencedora são, de fato, méritos? Será que não houve, sim, um grande desperdício desnecessário em cima de uma aparente boa idéia?
Não pare agora… Tem mais depois da publicidade 😉

E, nesta linha, podemos citar muitos exemplos de boas idéias, mas que poderiam ser, de fato, excelentes ações. Sob esta ótica, vale lembrar que alguns dos princípios desta abordagem estão na relação entre conteúdos, entre as pessoas, na percepção que todos fazemos parte de um sistema uno, na solidariedade, no reconhecimento de que não precisamos de tanto quanto achamos que precisamos, na mudança de paradigmas e valores, etc., como uma tentativa de sairmos da crosta do egoísmo e pensarmos também no que está ao nosso redor e que, surpreendentemente e quase poeticamente, é parte de todos nós!

Por que não otimizar essas atividades, aprofundar, ponderar e discutir questões? Por que não explicar aos responsáveis da limpeza quão importante é fazer esta separação de materiais e quão importantes estão sendo para aqueles que serão beneficiados diretamente, indiretamente e ao planeta? Por que não incentivar o aluno a fazer a reciclagem em casa e distribuir a associações ou mesmo combinar com um coletor de recolher este material com determinada freqüência? Não seria mais substancial? Mais ainda: para que essas atividades se o mais importante, que é frisar que a reciclagem, seria uma das últimas alternativas para uma vida, digamos, “ecologicamente correta”, não é feito? Lembra-se do famoso “3R”: “reduzir”, “reutilizar”, “reciclar”? Pois é: dentro de cada instância desta, há muito o que se discutir, rever e trabalhar.

Portanto, educador, muito cuidado: o meio ambiente está “em alta”, mas um bom educador não deve fazer deste fato um trabalho vazio, só para constar nos projetos políticos pedagógicos das escolas e em seus currículos.

Por Mariana Araguaia
Equipe Brasil Escola

fonte:
https://educador.brasilescola.uol.com.br/orientacoes/a-educacao-ambiental-reciclagem-lixo.htm

COM ESTAS DICAS, VOCÊ VAI CONSEGUIR ORGANIZAR MELHOR SEUS PENSAMENTOS

COM ESTAS DICAS, VOCÊ VAI CONSEGUIR ORGANIZAR MELHOR SEUS PENSAMENTOS

Nós já falamos aqui no Mega sobre a síndrome do pensamento acelerado, que faz com que algumas pessoas tenham a sensação de que simplesmente não conseguem organizar seus pensamentos ou se concentrar com facilidade. Logicamente, se a situação estiver prejudicando a sua vida, o ideal é buscar ajuda médica, mas, se essa dificuldade de organização de pensamentos não for algo tão rotineiro, talvez as dicas dadas pela revista Time possam ajudar a resolver o problema.

A publicação foi escrita com base no livro de David Allen, que reuniu uma série de conselhos para quem tem dificuldades de realizar tarefas e se identifica com o que ele chama de “mente macaco” – quando nossos pensamentos pulam de galho em galho, como os macacos fazem.

Além de escrever, Allen trabalha com consultoria profissional, e, ao longo dos anos, percebeu que muitos executivos superatarefados tinham uma característica de comportamento em comum: eles miravam em objetivos grandes e não apenas tinham dificuldades de alcançar essas metas como mal conseguiam realizar as tarefas mais simples. O motivo? Muitos pensamentos ao mesmo tempo e dificuldades de concentração.

Allen sabia que esses executivos estavam com dificuldades de redigir planos de ação, definir objetivos a longo prazo e estabelecer prioridades. “A maioria das pessoas nunca experimentou a sensação de não ter nada em suas mentes além do que quer que estejam fazendo no momento”, explica o autor.

Ele nos diz que esse excesso de pensamentos poderia ser algo tolerável se acontecesse apenas de vez em quando, mas atualmente, segundo ele, as pessoas estão ficando malucas com tanta informação e tantos afazeres, de modo que o resultado disso acaba sendo um cenário de profissionais cada vez mais ansiosos e distraídos.

Para resolver o problema ou pelo menos diminuir os impactos negativos dele, Allen recomenda que as pessoas passem a focar nos problemas que podem ser resolvidos imediatamente. Em vez das grandes metas a longo prazo, ele aconselha que esses executivos comecem a organizar suas próprias mesas de trabalho.

Ele cita como exemplo um memorando que vai ser utilizado apenas em uma reunião que está marcada para a semana que vem. Em vez de deixar o documento em cima da mesa, o ideal é guardá-lo em um local ou em uma pasta com a indicação da data na qual deve ser aberta. Dessa forma, o documento não vai ser uma distração desnecessária.

Essa técnica básica de organização é, na verdade, uma forma de remover nossas preocupações do nosso campo de visão. Uma vez que nossos objetos de preocupação estejam organizados, nós sabemos que vamos lidar com eles na hora certa e, dessa forma, deixamos de pensar neles sem necessidade.

Outra dica dada por Allen é a de estabelecer acordos consigo mesmo e mantê-los. Se você se propôs a realizar determinada tarefa, é melhor fazê-la logo, pois o contrário faz com que a sua autoconfiança vá pelo ralo. Isso é importante por causa do chamado Efeito Zeigarnik, que nada mais é do que a sua mente inquieta lembrando tudo aquilo que você queria ter feito, mas não fez. Por isso a importância de fazer menos listas de tarefas. Em vez de listar o que deve ser feito, vá fazendo cada coisa aos poucos, por prioridades.

Até pouco tempo, para a ciência, esses pensamentos nos importunando e nos lembrando de tudo o que não fizemos eram vistos como mecanismos cerebrais para nos ajudarem a realizar nossas tarefas. Hoje, no entanto, já se sabe que esses pensamentos não são tão positivos assim e, inclusive, atrapalham nossas capacidades cognitivas.

“A persistência de pensamentos distrativos não é uma indicação de que o inconsciente está trabalhando para finalizar a tarefa”, explica o autor, que afirma que, na verdade, essa é uma forma de nosso inconsciente nos pedir para que façamos planos de ações, determinando tempo, lugar e oportunidades. Assim que você deixar tudo planejado, é bem possível que esses pensamentos deixem você em paz.

A dica é, então, ser mais organizado na prática para que sua mente consiga organizar, sozinha, seus pensamentos. No fundo, não parece uma solução difícil, você concorda?

fonte:
https://www.megacurioso.com.br/comportamento/75518-com-estas-dicas-voce-vai-conseguir-organizar-melhor-seus-pensamentos.htm